sábado, 9 de agosto de 2008

Agradecimento


In Diário de Aveiro, de 08 de Agosto de 2008

Um obrigado nunca é de mais a quem se empenha e se dedica aos outros em condições de trabalho longínquas de serem as ideais. Este obrigado foi pelo menino de sua mãe, mas poderia ter sido pela Rosalina, pela Maria, pelo Carlos e por tantos outros que passaram e passam momentos difíceis de sua vida num espaço exíguo e sem vistas para o horizonte.
Lamento que assim seja!
Não há muito, confessava a uma amiga que gritos há que seriam desnecessários se quem pode, não fosse tão surdo. Por isso, até acabo por ter pena de quem nos rege. São, para mim, uns “alminhas de Deus” que se ataviam em dia de romaria e que minguam o resto do ano. Sofrem estes pobres de uma doença já antiga nestas paragens, a que eu chamo de “elefanto-branquismo”. O importante é mostrar grandeza mesmo quando se está minado por um pauperismo crasso. Esbanja-se e esbanja-se e esquece-se que a Educação e a Saúde são os pilares fundamentais de uma sociedade. A crise dos tempos é desculpa para os cortes que se infligem nestas estruturas basilares, mas, em contrapartida, gasta-se a mais em prol de um desenvolvimento que, certamente, não será tão frutífero tanto quanto tem vindo a ser apregoado.
Que mais dizer?! Malha-se no ceguinho e não há maneira dele ver. Surdos, cegos e com défices de compreensão. Suponho serem estes motivos suficientes para se ter compaixão de alguém. Tal como disse à minha amiga, não sou de rezar, pois se fosse, garanto-vos que rezava pela salvação das suas almas.
Milú

1 comentário:

sergiomanuellopes disse...

Olá.
Soube que Milu Calisto pretende criar uma associação de familiares dos utentes do CASCI.
Gostaria de saber mais sobre a iniciativa e eventualmente associar-me a ela.
Como posso obter o contacto da Milú Calisto